Sexo É Vida

Olá, como está sendo a primeira semana de 2017? Espero que cheia de sonhos, projetos e que já tenha em mãos sua lista de prioridade (metas e objetivos)...

Neste primeiro dia do ano, assisti uma reportagem no “Fantástico” que me chamou muita atenção como psicoterapeuta de casal e de famílias.

A reportagem é do mais novo casal da Praça, Baby Brasil e Carlos Casagrande.

Eles assumiram a relação publicamente há cerca de uma semana e já estão juntos desde as olimpíadas do ano passado. O que mais me chamou a atenção foi a posição de Baby Brasil, (com seus 65 anos), que afirmou na entrevista que pensa em ter relações sexuais somente após o casamento. E sabe o que o Casagrande (com seus 54 anos) disse? “Ela tem muito mais coisas interessantes do que a relação sexual. Continuou afirmando que sexo é o complemento do contato com uma pessoa como ela”. 

O que me chamou a atenção nesta reportagem? Não, não foi a idade. Não foi os dois apesar da idade, pensar em sexo. Muito pelo contrário...

Nós mais jovens, podemos pensar que estão com a idade “avançada”. E é exatamente isso que me chamou a atenção, a maturidade de ambos em relação o significado da relação sexual, do sexo.

Por que duas pessoas maduras, decididas e experientes escolheram casar primeiro para depois ter a relação sexual?

Não, não sou careta... Mas por que gostei disso?

Primeiro o que significa ter relação sexual com uma pessoa, pelo menos para mim? Intimidade!

Antigamente o sexo era o ápice do relacionamento, do compromisso afetivo, sentimental.

Para algumas pessoas ainda o é, mas na grande maioria, principalmente dos jovens, não!

Atualmente é como se fosse uma amostra grátis... As pessoas se experimentam, se for bom (o sexo), daí continuamos a namorar ou até casar, se não “a fila anda”.

Achei um artigo de um professor meu (Professor Dr. Carlos Catito), o qual admiro muito pelo seu trabalho em relação a Terapia Familiar e de Casal e olha o que parte do texto diz:

“Os relacionamentos afetivos estão limitados ao aspecto glandular. O outro é apreciado somente enquanto capacidade de me gerar prazer sexual. O máximo que se espera de um relacionamento é que ele possa proporcionar bons orgasmos. Lamentavelmente é a este reducionismo biologicista que chegamos nestes últimos dias.

Resultante disto a necessidade de discutir juridicamente o termo relação sexual. Já não se trata mais de uma relação onde duas pessoas buscam alcançar um alto nível de conhecimento um do outro.

Relação sexual passa a ter o significado, nos dias de hoje, da exclusiva conjugação carnal ou da excitação mútua que leve a tal fim, independente se tal ocorra entre conhecidos ou desconhecidos, se tenham vínculos ou não, se dure minutos ou meses. O termo está mais determinado pelos hormônios que pelo afeto entre as partes. Embora reconheça que o próprio termo afeto já perdeu seu significado dentro desta esfera reducionista do biológico.

Os relacionamentos estão definidos muito mais em um aspecto comercial, onde cada parte negocia suas vantagens e, sobretudo, no modelo comercial capitalista neo-liberal, no qual os mais fortes prevalecem sobre os mais fracos".

E é exatamente por isso que os relacionamentos não duram tanto tempo. As pessoas não se conhecem. Como afirmou Casagrande “o sexo deveria ser o complemento de estar com uma pessoa, e não a parte fundamental”.

A música de Daniel (sertanejo) No Ponto pra mim, uma parte diz: Amor não é só sexo, mas Sexo faz parte do amor...

O conhecer a pessoa antes do ápice do relacionamento, te livrará de problemas maiores. Às vezes para quem não tem sentimento nenhum, pode até ser balela o que estou falando, mas pensa em você, quando se apaixona por alguém e cai nessa situação. A pessoa fica contigo somente uma vez e dá no pé. Como fica o teu coraçãozinho?? Vai falar que nunca rolou isso??

Quantas vezes as pessoas se entregam sexualmente, para tentar segurar outra pessoa? Quantas jovens engravidando precocemente por falta de cuidados? Quantos problemas poderíamos ter evitado se não fosse a banalização do sexo?

Como estaria nossa sociedade hoje se realmente considerássemos os sentimentos uns dos outros e parássemos de viver somente pelo prazer individual e momentâneo.

O que me resta??

Trabalhar pessoas, casais e Famílias que se interessam em construir um Mundo Melhor para as próximas gerações. Sempre a disposição de vocês.

Se este texto faz algum sentido para você, compartilhe, envie-nos um comentário pelo link de contato de nosso site, terei o imenso prazer de responder.

Comentários